quinta-feira, 14 de dezembro de 2017



No perfil definido das manhãs,
nada de marcante a assinalar.

O céu emoldurado dos cabelos,
a cidade emaranhada no rosto,
as horas debruçados no olhar.


E como se não lhe bastasse
a trepidação dos dedos,
ainda há vento para as palavras se fazerem ao mar.

Maria da Fonte

1 comentário:

  1. Lindo poema, momentos inspiradores!
    Amei ler e ver!
    Abraços apertados!

    ResponderEliminar